O fim.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


Há um ano e meio, estreei-me na blogosfera aqui. Hoje, deixo este cantinho, dez mil visitas depois. Obrigado a todos!

P.s.: Agora ando por ali http://manifestacaoespontanea.blogs.sapo.pt/, passem por lá.

Continue Reading
0 recortes

Nada a acrescentar

sábado, 27 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes
0 recortes

Se eu disser que ele é pior que mau, também estou a enviar uma mensagem negativa para os mercados?

sexta-feira, 19 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


É que parece que ele tem mesmo mercado! E por mais 7, acrescento eu, levam o que está ao lado... Esse não é mau, é só chato.

Continue Reading
0 recortes

Uma pérola, para vós

quarta-feira, 17 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Continue Reading
0 recortes

Sobre a questão do sintético em Alvalade

quarta-feira, 10 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

"O grande problema para a relva não são as condições do Reino Unido, bem pelo contrário. É, isso sim, o calor. O nosso Estádio é muito fechado, pelo que no interior a temperatura está sempre muito mais elevada do que fora dele. Isto faz com que no Verão a relva atinja os 50ºC. É este o grande problema, não é a chuva nem a neve (lembrem-se da péssima qualidade da relva neste Mundial, devido ao calor). Além de que quando a relva está tão quente está muito mais propensa a que se propaguem fungos (não se esqueçam que nós já tivemos alguns.

Por isso, as opções passam por arranjar um qualquer sistema de refrigeração da relva do qual, se existe, eu nunca ouvi falar; ou, em último recurso, colocar o tal sintético-natural igual ao do Bessa.

Concordo, por isso, com o Pedro quando diz que futebol é com relva natural. Mas também tenho noção de que não havendo outra solução é preferível colocar o tal sintético-natural, quer para não prejudicar a equipa com relvados miseráveis quer por motivos económicos (não nos podemos dar ao luxo de mudar o relvado todos os anos). Por isso penso que não é uma boa opção, mas cada vez mais se afigura como a melhor possível."



Comentário meu a este post do grande Pedro.

Continue Reading
0 recortes

Esquizofrenia governamental

terça-feira, 9 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Ora, se Teixeira dos Santos admitia recorrer ao FMI quando os juros da dívida pública se aproximassem dos 7%, e se já estão acima dos 6,9%, o "serviço público" do PSD serviu para nada. Venha o FMI, e depressa!

Continue Reading
0 recortes

E isso não vai desaparecer.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes
0 recortes

Quem não se arrepiar com isto não merece nada

domingo, 31 de outubro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Continue Reading
4 recortes

A Verdade sobre os submarinos!

sábado, 9 de outubro de 2010 by Sean




O verdadeiro motivo porque se compraram os submarinos foi para missões de Defesa Nacional! Aqui está uma delas!

Continue Reading
0 recortes

And I quote...

domingo, 3 de outubro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

«(...)Sócrates e o PS têm sido sempre vítimas de alguém ou de alguma coisa.
No caso da licenciatura, o primeiro-ministro foi vítima da inveja; no caso dos mamarrachos, foi vítima da má-lingua; no caso Freeport, foi vítima de uma cabala; no caso Face Oculta, foi vítima de escutas telefónicas indevidas; agora no Orçamento, é vítima de Passos Coelho.(...)»

José António Saraiva, Sol, 1/10/2010



Continue Reading
0 recortes

Parabéns a quem merece

sábado, 2 de outubro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

E neste caso é o Estado-Sentido, um dos melhores. Longa vida, meus amigos!

Continue Reading
0 recortes

Para ler. Sem falta.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes
0 recortes

Cada rei tem o seu trono

segunda-feira, 13 de setembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



Faz hoje 7 anos, e Damas deve sempre ser recordado.

Continue Reading
0 recortes

Fernando Pessoa dixit

quarta-feira, 8 de setembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

O tempo passa, mas as opiniões de quem sabe mantêm-se sempre actuais. As frases que escolhi e reproduzi abaixo foram escrito em 1926, e há tanta gente que ainda não o percebeu...


«Considerada em si mesma, a administração de Estado é o pior de todos os sistemas imagináveis(...)»

«De todas as coisas imagináveis, é o Estado, em qualquer parte ou época, a mais mal organizada de todas.»

«É pois evidente que quanto mais o Estado intervém na vida espontânea da sociedade, mais risco há, se não positivamente mais certeza, de a estar prejudicando(...)»

«A administração pelo Estado de uma indústria e de um comércio é prejudicial para o Estado, porque todo o comércio ou indústria mal administrado é prejudicial a si mesmo; e é prejudicial à indústria ou ao comércio particular, que por ela fica proibido. Só pode, em certos casos beneficiar o consumidor; porque pode bem ser que o produto vendido o seja em condições anormalmente favoráveis. Há serviços do Estado, em muitos países, que trabalham com deficit previsto para beneficiar o consumidor. Como, porém, esse consumidor é ao mesmo tempo contribuinte, o que o Estado lhe dá com a mão direita, terá fatalmente que tirar-lho com a esquerda. O consumidor é, no fim, quem paga o que deixa de pagar.»


E não se pense que Fernando Pessoa era anti-Estado ou anarquista:

«(...) é forçoso que haja um Estado de qualquer espécie.»


Nota: Todas as citações, in Revista do Comércio e Contabilidade, nº2, Fevereiro de 1926.

Continue Reading
0 recortes

Agora já ninguém acredita que Carlos Queiroz é o treinador de Portugal...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Com Queiroz, atacávamos pouco mas até defendíamos decentemente. Neste pós-Queiroz, marcamos muitos, mas também levamos 3 (até agora) do Chipre. A mudança está feita...


Adenda: Ainda levámos mais um e o jogo ficou 4-4. E era futebol, não era hóquei. Uma vergonha.

Continue Reading
1 recortes

Arranjem lá outra coisa para implicar!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

O Sporting queria um pinheiro para jogar em 4-4-2, para fazer companhia ao Liedson. Ora, o Paulo Sérgio percebeu (e bem!) que este Sporting rende mais em 4-2-3-1. Assim, o alvo deixou de ser um ponta-de-lança (temos 3 para 1 posição, é o ideal) e passou a ser um 10, para concorrer com o Matias. E eis que surge o Tales, que é um excelente jogador. Perceberam?

Continue Reading
0 recortes

É assim que a Igreja quer ser levada a sério?

sábado, 28 de agosto de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Ao que parece, o Vaticano ou o Papa decidiram condecorar Cavaco Silva e José Sócrates com ordens importantes. Deve ter sido pelas posições quanto ao aborto ou ao casamento homossexual, tão parecidas com a Igreja...

Continue Reading
0 recortes

E nem foi contra o Roberto!

domingo, 22 de agosto de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



Depois de bolas ao poste e à barra, de grandes exibições dos guarda-redes adversários, de penaltis por marcar, ela lá entrou! Agora é tipo ketchup, amigos...

Continue Reading
1 recortes

Onde estão os abrilistas para nos darem um sermão sobre liberdades quando são precisos?

quinta-feira, 12 de agosto de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Agora, dizem-nos o pão que podemos comer. Qualquer dia dão-nos horários para poder ir à casa-de-banho...

Continue Reading
1 recortes

Odeio manhãs

by Luís de Aguiar Fernandes

Atravesso a cidade e só vejo pessoas com caras pouco simpáticas. Sento-me num consultório onde tenho de gramar com o Goucha. Tomo um café e leio as notícias que li online antes de dormir. Ligo a TV e o melhor programa que dá é o documentário que vi às 02:00 na SIC Notícias. Por isso, não me venham com tretas. Odeio as manhãs.

Continue Reading
0 recortes

Justiça à portuguesa

terça-feira, 10 de agosto de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Para quem quiser ficar um bocadinho mais esclarecido sobre o tema, é ler este texto de Ricardo Sardo, do Legalices, como convidado do Delito de Opinião.

Continue Reading
0 recortes

"O" festival em Portugal

quarta-feira, 4 de agosto de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

É verdade, voltei de Paredes de Coura! Vou deixar-vos com duas ou três palavras sobre os concertos (vi a maioria), pois um festival é o que a sua música quiser.


Assim, começo pelo Jazz na Relva. Aliás, não começo porque não vi nada disso...

Depois, o Iberosounds. Também neste não vi nenhum concerto, mas do que ouvi do campismo, destaco Madame Godard e Boat Beam, com um som muito agradável, e Samuel Úria, que pelo barulho do público deve ter tido lá muita gente.

Depois o Palco Paredes de Coura:

Dia 28 (no Palco Iberosounds, serviu como recepção ao campista):

  • Cosmo Jarvis - A espaços, boa música. Vaguearam demais pelo rap, country e até rockabilly. Primeiro têm de se descobrir a eles mesmos.
  • Los Campesinos! - Muita gente, muito interesse, e interesse bem correspondido. Muito bom concerto, em todos os aspectos! Palco pequeno demais para eles...
  • Memory Tapes - Boa música, durante os primeiros 15/20 minutos. Depois, tudo muito igual. Adormeceu um bocado o pessoal.
  • Isidro LX - O DJ/VJ da noite revelou-se um mero passa-músicas. Ainda assim, músicas boas.
Dia 29:

  • Vivian Girls - Não vi, só ouvi do campismo. Pareceu-me que não deu para aquecer o público, apesar das vozes doces.
  • Eli "Paperboy" Reed - A surpresa. Quando entraram no palco em boxers percebemos que estavam ali para dar espectáculo. E deram. Boa música e melhor interacção com o público, com um momento memorável em que mandou o público despir-se e abanar a roupa. Muito bom!
  • Gallows - A interacção manteve-se, a qualidade de música nem por isso. Se em gravação a música parece boa, é mentira. Ainda assim, grande festa, com muito "mosh" e tentativas de pirâmides humanas à mistura.
  • Enter Shikari - A noite começou a cair, e ainda bem para o espéctáculo de luzes destes. Música electrónica com espírito "hardcore" resulta bem, e as cambalhotas em palco ou subidas às colunas ajudaram. Ganharam fãs por cá.
  • The Cult - Sonoridade perfeita, saíram prejudicados do alinhamento. Depois de dois concertos com muito "mosh" o rock clássico e solos de guitarra não animaram o público. Ainda assim, um grande concerto, com um encore à altura.
  • Caribou - Vamos ser francos: ninguém percebeu porque estavam neste palco e não naquele onde há 2 anos deram espéctaculo. Este era grande demais, e não conseguiram enchê-lo depois de uma tarde/noite de rock. A música não estava má, mas houve quem (literalmente!) adormecesse...
  • We Have Band (After Hours) - Grande concerto, deviam ter trocado com os Caribou. Ganharam muitos fãs e ainda bem que voltam já este ano!
  • Best Coast (After Hours) - A minha maior esperança, a minha maior desilusão. Na verdade, deviam ter tocado à tarde e não ali. Mas a falta de entrega e vontade não foi disfarçada, e este concerto fica na memória pela negativa. É pena, têm música para muito mais.
  • DJ Coco - O que ficou dito para o Isidro LX adequa-se perfeitamente aqui.
Dia 30:

  • The Tallest Man on Earth - Sozinho no palco maior, foi grande. Muito bom concerto, apesar do mau inglês e da notória desorientação do rapaz.
  • PAUS - Já sabíamos o que esperar - baterias - e não desiludiram. Mas também não fizeram mais que isso, e algum público achou pouco. Eu gostei. Fica a boca à organização, por ter a eles recorrido como plano B, depois do cancelamento da banda Plan B.
  • The Courteeners - Na altura, não desgostei. Mas hoje, já mal me lembro do concerto, e isso quer dizer alguma coisa... Morrisey ficou mais impressionado com eles do que Paredes de Coura, pela certa.
  • Peter Hook - Sinceramente não sabia o que esperar. É o mais próximo de Joy Division que temos, mas não é Joy Division. Felizmente, surpreendeu-me pela positiva. Hook não se armou em Curtis e cantou como sabe. E isso resultou muito bem. Encore para nunca mais esquecer!
  • White Lies - Outra grande surpresa. Não pelas músicas, daí já sabia o que esperar - um meio caminho entre Editors e Interpol. O que me surpreendeu foi ver em palco uma banda madura que já pode ser cabeça de cartaz num evento destes. Bravo!
  • Klaxons - Electrónica de fazer toda a gente saltar e dançar, foi isso que fez. Ajudados por um espectáculo de luzes fantástico, surpreenderam quem se queixou da sua capacidade de fechar o dia. Aposta ganha da organização.
  • Plus Ultra (After Hours) - Ninguém percebeu o que se passou ali. Erro de casting que ia partindo o palco no meio de muitos f*ckings. Não é banda para Paredes de Coura.
  • Mega Bass (After Hours) - Este sim, um DJ a sério. E conseguiu manter o pessoal animado até altas horas...
Dia 31:

  • Os Dias de Raiva - Não vi, mas pelo que ouvi não pareceram tão maus como os pintam.
  • Jamie T - Também não vi, mas do campismo não me pareceu estar a perder nada de importante. Razoáveis, com misturas de estilos que às vezes são tiros completamente ao lado.
  • The Dandy Warhols - A desilusão. O som estava mau, eles estavam sem vontade e o público não engoliu as tentativas deles. Só em Bohemian Like You houve animação (se viesse de uma aparelhagem, o som era melhor e a animação era a mesma). Terrível.
  • Mão Morta - Grande concerto, na sua segunda casa. Budapeste, Novelos de Paixão e Anarquista Duval foram momentos memoráveis.
  • The Specials - Estava já tudo ansioso por Prodigy, o que podia não ser nada bom para eles. Mas com a sua experiência e um alinhamento bem planeado conseguiram arrancar um grande concerto. Notava-se que estava lá muita gente para os ver, e eles responderam na perfeição.
  • The Prodigy - Intenso. Louco. Tirando pensarem que estavam no Porto (disseram-no 10 vezes), fizeram tudo o que o público queria. E este respondeu como eles queriam. Foi tão bom que durou quase mais meia hora do que o previsto. E todos sabemos o quão rígido são os horários em festivais...
  • Dum Dum Girls (After Hours) - O público, cansado e cheio de pó nas vias respiratórias, não estavam fácil, e elas não conseguiram cativá-lo...
  • Os Yeah (After Hours) - O cansaço era muito e no dia seguinte havia que acordar cedo, pelo que não sei o que fizeram.
Em suma, um festival que parecia condenado à morte ganhou nova vida. Como me dizia um amigo, "Paredes nunca desilude", e para o ano há mais!

Continue Reading
1 recortes

Volto lá para Agosto...

segunda-feira, 26 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Meninos e meninas, vou celebrar o facto de já estar de férias para ir ao fantástico festival de Paredes de Coura. Até logo!


Continue Reading
0 recortes

Parabéns a nós!

sexta-feira, 23 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


Faz hoje precisamente um ano que este blog começou. Sem grandes truques ou histórias, entrámos neste projecto, que nada tinha de especial. Uma ideia, congeminada numa noite de Verão, deu nisto. E ainda bem! Foram muitas as coisas boas desta nova experiência e esperamos mantê-la por muitos mais anos. Parabéns a nós, e obrigado a vós!

Continue Reading
1 recortes

Diálogos sem sentido / Declarações não sérias

segunda-feira, 19 de julho de 2010 by Sean

O cenário é a barbearia do Proença, sítio iluminado bem localizado, cadeiras vermelhas encostadas às paredes brancas e azuis.
A cidade é do interior.

Sr. Rebelo ( Homem cinquentão, proprietário da loja de antiguidades em frente ao barbeiro, onde passa os dias devido à crise do seu negócio) - " Olhá... Viu-a?"
Sr. Proença, aka Tesouras - "Vi, pois... Quem aí passou à bocado foi a sua prima!"
Sr. Rebelo - "Ah. Eu vi-a!"
Sr. Proença - "Ía com uma calcinhas a verem-se-lhe as bochechas! Quer dizer as bochechas não se viam mas ... (risos)"
Sr. Proença - "É, é... Ela agora tá bem!"

Entra em cena o Sr. Morgado! (Proprietário de um talho da mesma rua)

Sr. Morgado - " Então Proença, já afiaste a moto-serra?"
Sr. Proença - " Tá sempre afiada!"
Sr. Rebelo - "Afiada está mas trabalho não há"
Sr. Morgado - " Vou só aqui meter um bocadinho de gasóleo! (leia-se beber um copo)"

Sr. Morgado sai de cena!

Sr. Morgado regressa da bomba de gasolina!

Sr. Morgado - "Então Proença, É pra hoje ou pr´amanhã?! Ah, C#@$%& isto aqui tá tudo F#@$%&!"
Sr. Proença - "Há mais a queixarem-se"
Sr. Morgado - " Não sei se tá pior para os novos ou prós velhos. Como é que ficou aquilo ontem da PT? "
Eu - " Não ficou nada decidido e a proposta da Telefónica expirou à meia-noite!"
Sr. Morgado - "Ah!"
Sr. Proença - " Se me dessem metade do dinheiro a mim!" (risos, de gargalhadas)

Sr. Proença - "Ora prontinho! São 6.50€"

Assim se passam uns bons 15 minutos na cadeira do Barbeiro!

Continue Reading
0 recortes

Um campeão... à espanhola.

by Luís de Aguiar Fernandes



É sabido que gosto de ciclismo. Aprecio a dureza, a espectacularidade e também a integridade e lealdade dos membros do pelotão. Este ano, a grande luta pela geral é entre o muito jovem Andy Schleck, que era camisola amarela, e Alberto Contador, o actual. Exacto, era.

Isto porque hoje Contador ganhou a amarela, nos Pirinéus. O leitor já imagina uma grande subida, uma fuga fantástica de Contador, como tem feito... Mas não. A verdade é que Contador foi tudo menos fantástico. Quando Schleck tentou fugir, saltou a corrente da bicicleta, obrigando-o a perder tempo, e foi nesse preciso momento que Contador fugiu. Um acto de cobardia, que não é frequente ver entre grandes ciclistas. Agora se percebe o carácter de um atleta que no ano passado se incompatibilizou com o melhor de sempre e colega de equipa, Armstrong, e este ano já fez o mesmo com o também colega Vinokourov.

Se antes queria ver Contador a perder tempo, agora quero mais. Porque Contador, com estas atitudes, nunca vai ser um grande campeão como Armstrong ou Indurain. Será, quando muito, um campeão à espanhola.

Continue Reading
2 recortes

Uma novela portuguesa, com certeza

sábado, 10 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Assim acaba a primeira parte deste jogo de telecomunicações, num armistício para negociar. Os accionistas perderam um grande negócio mas a PT não amputou o braço direito. E todos ficámos a perceber que quem decide é o Governo.

Ficou tudo às claras: o Governo dá ordens à Caixa Geral de Depósitos e não aceita que se façam negócios sem ser ouvido e sem anuir ou mesmo encorajar. Estivemos anos a ouvir o contrário. Que não, que as empresas decidem autonomamente; que falar de intervenção estatal era insulto; que a Caixa competia no mercado com os outros.


Quem é que hoje acredita que a TVI esteve para ser comprada pela PT sem o conhecimento, aprovação e até motivação do Governo? Quem pode hoje sonhar que na OPA da Sonae o Governo foi mesmo neutro? Quem pode crer que o financiamento galopante e suicida que a Caixa fez àqueles que se consumiram no BCP (Berardo, Fino e outros) não teve o pulso ou o impulso do PS? E que a não execução destes capitalistas falidos foi isenta? Quem põe as mãos no fogo pela nomeação de dezenas de "boys", tachos e incompetentes infiltrados nestas empresas? Quem acredita nos negócios na Taguspark, no pequeno-almoço de Figo, nos amores à primeira vista com a JP Sá Couto, nas adjudicações sem concurso, na convocatória da EDP para a Qimonda Solar, na coincidência do ex-assessor do secretário de Estado das Scut que passa a vender chips ao Estado? Quem se fia em todos os investimentos e créditos perdulários da Caixa em antros de pirataria como a La Seda? Nos dinheiros de fundos públicos para a Aerosoles, nos patrocínios compulsivos de "empresas estratégicas" no Red Bull Air Race, que acaba de nos mandar passear? Quem ainda acredita que a Caixa não está a reforçar-se como testa--de-ferro da "golden share" da PT, nas nomeações na Cimpor, como antes no BCP, nas entradas accionistas na Galp, Quem?

Continue Reading
0 recortes

The truth is not what you know. It's what you believe.

sexta-feira, 9 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



Este filme, Ondine, dá que pensar. O que é a realidade, e quando se passa para o campo da fantasia... E os Sigur Ros são a metáfora perfeita. Vejam.

Continue Reading
0 recortes

A Alemanha vai ganhar o Mundial, mas eu torço pela Holanda

domingo, 4 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


Há dois anos, no Europeu, ele jogou como extremo contra Portugal, à frente de Rolfes, Ballack e Hitzlsperger. Decidiu.

Hoje, jogou como falso médio-defensivo(!). Voltou a decidir.

Quando as pessoas elogiam esta Alemanha, destacam sempre Muller, Ozil ou Podolski. Esquecem-se do motor da equipa. Sim, é aquele do nome esquisito e que marca sempre a Portugal.

Continue Reading
1 recortes

Hora de agradecer

sexta-feira, 2 de julho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Eles estão ali do lado direito desde o início deste blog, e hoje fomos nós parar à barra da direita deles. Obrigado Estado Sentido, um dos nossos preferidos.

Continue Reading
0 recortes

A partir de hoje e até ao fim do Mundial, sou holandês desde pequenino...

quarta-feira, 30 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



... e a culpa é do 10 e do 11.

Continue Reading
0 recortes

Se o PR vela pela CRP, quem vela por Cavaco Silva?

by Luís de Aguiar Fernandes

O Jorge diz assim, num seu post:


Queria tirar umas dúvidas. Portanto, se bem entendi no teu ponto 1, o Presidente da República não deve velar pelo cumprimento da CRP, quando duvida da inconstitucionalidade de um diploma, porque é inconveniente em termos políticos?

E se houver fiscalização sucessiva, depois de os portugueses pagarem impostos inconstitucionais, o que acontece? Retorno do montante inconstitucionalissimamente pago aos portugueses? Ou o mais, provável, ficamos a arder?

Não me venham com tretas. Cavaco Silva legitimou uma medida inconstitucional e má para os portugueses, e tudo por motivos políticos. Essa é que é a verdade. E dói.

Continue Reading
2 recortes

Hoje voltei a ouvir o melhor álbum de sempre...

sábado, 26 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


... e esta é a música 7.

Continue Reading
0 recortes

Palavra aos outros

quinta-feira, 24 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

Um resumo do Henrique Raposo sobre a III República, que está uma delícia:

  • Em 1976, numa época em que se pensava na vitória da URSS na guerra fria, uns senhores pensaram numa constituição assente no princípio da proibição do retrocesso social (aka direitos adquiridos)
  • A coisa não funciona bem. A economia portuguesa é esmagada pelo peso dos direitos adquiridos.
  • Não faz mal: o estado pede emprestado lá fora.
  • Os gajos lá fora começam a ver que os portugueses não são de confiar, porque têm um estado social muito acima das suas possibilidades, e, ainda por cima, são aristocratas e desprezam a ética de trabalho.
  • Os gajos deixam de emprestar.
  • E agora? Enterrar 1976, pelo menos a parte da irrevogabilidade dos “direitos”.
  • A parte sinistra é esta: a República portuguesa, que assenta na irrevogabilidade do “estado social”, foi incapaz de criar um “estado de direito”.
  • A parte sinistra, II: os portugueses confundem "democracia" com "estado social". A maioria dos portugueses não se importava de viver num Estado Novo com um Estado Social lá dentro. Não querem saber de parlamentarismo e de estado de direito. Querem é saber do seu Estado Social, do seu subsídio, da sua educação paga e da sua saúde paga (com um hospital dentro de casa, se possível). Querem, no fundo, viver num sídio onde tudo é de borla, e onde se vota nos gajos que nos dizem que tudo deve ser à borla. Uma maravilha."
  • Continue Reading
    0 recortes

    A bater em mortos...

    segunda-feira, 21 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



    ... foram sete! E se a Coreia perde com a Costa do Marfim, algo me diz que o título deste post deixa de ser uma metáfora.

    Continue Reading
    0 recortes

    Portugal

    by Sean

    O MOSTRENGO - Mensagem, Fernando Pessoa! - Ouvi dizer que desde este dia que se chama Cabo da Boa Esperança!

    O mostrengo que está no fim do mar Na noite de breu ergueu-se a voar;
    À roda da nau voou trez vezes,
    Voou trez vezes a chiar,
    E disse: «Quem é que ousou entrar
    Nas minhas cavernas que não desvendo,
    Meus tectos negros do fim do mundo?»
    E o homem do leme disse, tremendo:
    «El-rei D. Jo ão Segundo!»

    «De quem são as velas onde me roço?
    De quem as quilhas que vejo e ouço?» Disse o mostrengo,e rodou trez vezes,
    Trez vezes rodo u immundo e grosso.
    «Quem vem poder o que só eu posso,
    Que moro onde nunca ninguém me visse
    E escorro os medos do mar sem fundo?»
    E o homem do leme tremeu, e disse:
    «El-rei D. João Segundo!»

    Trez vezes do leme as mãos ergueu,
    Trez vezes ao leme as reprendeu,
    E disse no fim de tremer trez vezes:
    «Aqui ao leme sou mais do que eu:
    Sou um povo que quere o mar que é teu;
    E mais que o mostrengo, que me a alma teme
    E roda nas trevas do fim do mundo,
    Manda a vontade, que me ata ao leme,
    D' El- rei D. João Segundo!»

    E hoje o Cabo ganha novo sentido em Cape Town!

    Cumpra-se o Portugal do Mundial!

    Continue Reading
    0 recortes

    Que grande Fim-de-semana!!

    domingo, 20 de junho de 2010 by Sean




    Obrigado Rapazes!

    Continue Reading
    0 recortes

    Menos um grande escritor

    sexta-feira, 18 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



    Morreu José Saramago. A homenagem do blog impõe-se, com uma ressalva: esta não o é a José Saramago enquanto pessoa e cidadão (esse não me merece o mínimo respeito), mas apenas a José Saramago escritor e Prémio Nobel da Literatura. Descanse em paz, homem.

    Continue Reading
    22 recortes

    Eu pago, tu pagas, ele não paga...

    segunda-feira, 14 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



    ... porque é do Governo. Nas Scut's só paga quem não pode. Boa medida.

    P.s.: Era em castelhano ou alemão. Fui com a primeira opção.

    Continue Reading
    5 recortes

    De volta à 1ª!

    domingo, 13 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes



    A verdade é que nunca devia ter saído de lá. Mas o que interessa é que ganharam a Liga Adelante, estão de volta à Liga BBVA, e a Liga espanhola ganha outro interesse... Txuri Urdin Maitea!

    Continue Reading
    0 recortes

    Pergunta legítima [2]

    sexta-feira, 11 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Vamos lá explicar devagarinho:

    - O Governo disse que não sabia do negócio da PT/TVI.
    - Foi constituída uma Comissão de Inquérito para averiguar esse negócio.
    - Logo, o Governo mentiu.

    E agora, Passos Coelho? O PSD vai fazer alguma coisa ou como maior partido da oposição vai aceitar que o Governo minta ao povo sem consequências?

    Continue Reading
    0 recortes

    Pergunta

    segunda-feira, 7 de junho de 2010 by Sean

    O Sean pergunta: Se as escolas com menos 21 alunos não tem qualidade pedagógica, porque é que em 2009/2010 abriram 122 cursos superiores com um número de vagas inferior a 21?
    No Ensino Superior a qualidade pedagógica atinge-se com 10 alunos? Ou vamos ter de actualizar estes estudos? Hum..

    PS - Podem confirmar os dados no site

    Continue Reading
    2 recortes

    Hey Sócrates leave our kids alone!

    quinta-feira, 3 de junho de 2010 by Sean

    Foi no dia da Criança que o Sr. Governo disse a uns milhares de crianças que para o ano teriam um novo desafio! Mudar de escola, conhecer novos amigos, conhecer uma nova localidade, conhecer o Sr. Zé, motorista do autocarro das 6h da manhã, e o Sr. Manuel, motorista do autocarro das 18h! E as crianças felizes, brincavam no recreio sem perceberem o tamanho daquele desafio, na ambição de viajar para a metrópole distrital.

    Mas para analisar este problema de fundo é preciso recordar quais são as motivações do Sr. Governo para o encerramento das escolas.

    E o motivo é: “Contribui para a qualidade pedagógica” e não está a ser feito às cegas, há estudos (daqueles de escolas com mais de 100 alunos). E esses estudos dizem que uma escola com menos de 21 alunos não tem qualidade pedagógica.

    Problema 1: Em 2007, um outro estudo sobre a mesma temática dizia que o número de alunos mínimo para garantir “qualidade pedagógica” era de 11 alunos! Mas obviamente que com o grau de desenvolvimento nacional, com o avanço na modernização tecnológica das escolas e quiçá com a modernização dos alunos, esse número subitamente subiu para os 21 em 3 anos! Nada de estranho!

    2007 – Qualidade certificada com 11 alunos ----» 2010 – Qualidade certificada com 21 alunos!

    Problema 2: Os estudos ignoraram outros estudos municipais que indicam que o índice de população em idade escolar para frequentar as escolas q agora vão encerrar naquele local, no próximo ano será superior a 21 alunos, mas isso já és especular! Sabe-se lá se as crianças crescem durante um ano…

    Problema 3: O aluno que é obrigado a emigrar para a metrópole distrital no período das 6h às 18h tem mais qualidade pedagógica na escola de destino, mas terá mais rendimento?

    O Sr. Governo esteve em Marrocos esta semana onde disse que gostava que o Sr. Governo Marroquino pudesse analisar o programa de modernização tecnológica da rede escolar. Eu alerto-o, Sr. Governo Português que peça ao Sr. Governo Marroquino que ignore o facto de nós fecharmos escolas com menos de 21 alunos e da nossa rede escolar ser pequena e demasiado centralizada!

    E agora, Sr. Governo português, se o objectivo é reduzir a despesa eu posso indicar-lhe uma escola onde só se aprendem baboseiras e onde ocasionalmente não estão mais de 21 alunos. Chama-se Assembleia da República, corte nas viagens, corte nos vencimentos, corte nas ajudas de custos, encerre à sexta-feira para balanço, corte só. Mas as escolas merecem mais atenção que os estudos encomendados a entidades Lisboetas.

    Continue Reading
    2 recortes

    Estamos em crise, 'bora violar a CRP

    quarta-feira, 2 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes
    0 recortes

    Estatuto do Nascituro

    terça-feira, 1 de junho de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    O Brasil é um país mais consciente que Portugal. Parece mentira, mas por lá foi aprovado o Estatuto do Nascituro, enquanto por cá foi a Despenalização do Aborto.


    É uma boa notícia. Para quem não sabe, e em termos sintéticos, nascituro é aquele que já foi concebido mas ainda não nasceu. Este tem alguns direitos, mas uma protecção mais que frágil. Cada vez pior, em Portugal, com a Lei do Aborto. Pois bem, agora no Brasil este foi finalmente sujeito a um estatuto próprio, destinado a proteger o próprio nascituro. Afinal, estamos perante um ser. E por isso mais vale protegê-lo.

    Afinal, o que é o progresso? Liberalizar o aborto ou proteger o nascituro? O que prevalece? A liberdade pessoal, ou a vida. No primeiro ano do curso de Direito é-nos ensinado que a Vida é o valor supremo, e no Brasil também deve ser. Mas lá é verdade, por cá parece não ser.

    Continue Reading
    2 recortes

    Maniche no Sporting?

    segunda-feira, 31 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    No meu blog preferido sobre o Sporting, o Bancada de Leão do Pedro Varela, deixei este comentário sobre a suposta contratação de Maniche:


    Maniche é bom jogador. Alguém duvida?
    Maniche é sportinguista.
    Maniche jogou a época toda a bom nível.
    Maniche sabe o que é ganhar.
    Maniche podia dar espírito vencedor ao clube.
    Maniche ia dar tudo por tudo pelo clube.

    Quem critica esta contratação são os mesmos que criticaram Derlei? Com Angulo foi diferente, um campeonato novo depois de lesões é difícil. Foi um erro. Mas Maniche não será um novo Angulo. Será um novo Derlei. Raçudo, vencedor. Têm a certeza que não o querem no clube? Eu quero. Como queria que Derlei não tivesse ido embora, e que o Sporting lhe pagasse o que ele queria. Como quero com Maniche. Os bons jogadores são para contratar. Para contratar Petrovic's que nem português falam e só têm problemas pessoais, não quero.

    Jogadores jovens nós temos, e bons. Dos melhores do Mundo! Por isso reforcem-se com jogadores experientes, que ensinem aos nossos meninos o que é ser vencedor. E Maniche é isso mesmo. E Maniche não é velho. A idade do BI por vezes não interessa. Vejam Zanetti, ou Cafú, ou Inzaghi, ou Raúl, ou Giggs, ou Scholes, ou Ballack, e a lista podia continuar. Quando se quer vencer, a idade não conta. E eu não duvido que Maniche o queira!

    Continue Reading
    4 recortes

    Ecletismo é isto

    domingo, 30 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


    Hoje o Sporting ganhou a primeira competição europeia da história do andebol português. Parabéns a todos jogadores, equipa técnica e adeptos. E sobretudo um grande obrigado a este homem, que defendeu tudo.



    P.s.: Não, não desapareci. Mas andar a brincar ao juízes, com fim de aulas e Rock in Rio pelo meio deixam-me bastante ocupado. E amanhã vem o primeiro exame...


    Continue Reading
    0 recortes

    Oh captain, my captain!

    terça-feira, 25 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Continue Reading
    0 recortes

    Uma tripla para o Inter de Mourinho

    sábado, 22 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    O Inter de Mourinho ganhou a Champions. Justíssimo. Quem queria espectáculo ficou triste, quem queria bom futebol não.


    O jogo começou a ser ganho quando o Inter deu o meio-campo ao Bayern. Parece uma parvoíce, mas não é. Ao deixar o Bayern trocar a bola no meio-campo defensivo do Inter, mas sem nunca os deixar criar perigo, Mourinho conseguiu que a defesa destes subisse, para manter a equipa unida e que os jogadores se enervassem.

    Dizem que água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. É mentira. A defesa do Inter foi de pedra (Samuel fortíssimo e Lúcio muito rápido), e o ataque do Bayern não furou. Só Robben ia tentando, mas Zanetti esteve sempre irrepreensível na ajuda a Chivu. Altintop não é Ribéry, Olic não marcou e Muller não existiu, o que também ajudou.

    Depois, o contra-ataque. Aí, o 4-4-1-1 (Pandev e Eto'o foram médios) de Mourinho, com Snejder a organizar e Milito a resolver funcionou na perfeição, sobretudo quando tinham à frente uma defesa lenta e subida demais. Parecido ao jogo com o Barça.

    Balanço final: Robben o melhor da competição, Milito o melhor da final, Mourinho ganha o terceiro troféu este ano. E um escândalo este Cambiasso e este enorme Zanetti ficarem a ver o Mundial em casa.

    Continue Reading
    0 recortes

    Siameses II

    quinta-feira, 20 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes
    0 recortes

    Cavaco e o veto

    terça-feira, 18 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    O Presidente da República falou ontem ao país, numa altura de grave crise económica, para anunciar que não vetaria politicamente a lei do casamento homossexual. Eu acho incompreensível. Politicamente falando. Ninguém duvida que se Cavaco vetasse esta lei, ela seria aprovada pelo Parlamento. Isso não está em causa. A lei iria entrar em vigor de qualquer das maneiras.


    Cavaco, ao não vetar, desiludiu quem votou nele. A direita. E provavelmente agradou à esquerda. Mas vamos ser pragmáticos: se Cavaco quiser ganhar as próximas presidenciais, vai precisar dos votos da direita. E com apenas dois candidatos assumidos, ambos de esquerda, não terá grandes hipóteses de ir buscar votos a esse lado do espectro político. Por isso, com esta declaração, perdeu votos à direita e não os ganhou à esquerda. Das duas uma: ou não pensou nas repercussões da comunicação no futuro eleitorado/foi mal aconselhado; ou não se vai candidatar. Será?

    Há outra hipótese: Cavaco concordava com a lei, o que duvido. E mesmo que concordasse, não devia fazer uma comunicação toda pomposa para anunciar o não-veto. Politicamente incompreensível, Cavaco deu um passo para o lado errado. E agora, se quiser ganhar eleições, terá de recuperar eleitorado que perdeu porque quis.

    Continue Reading
    3 recortes

    Siameses

    quinta-feira, 13 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    O Governo aumenta os impostos e Pedro Passos Coelho pede desculpa por isso numa conferência de imprensa.

    Continue Reading
    0 recortes

    Religiosidades

    quarta-feira, 12 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Eu sou provavelmente a pior pessoa para falar de religiões. Não sou católico, nem religioso. Sou baptizado e fiz a Primeira Comunhão, como a maioria dos portugueses, mas nem sou crismado. Aliás, a última vez que pus os pés numa igreja (sem contar visitas culturais) já data de mais de dois anos.


    No entanto, tenho noção do que a Igreja representa no nosso país. Aliás, apesar de nunca perceber como se pode acreditar cegamente em Deus, sempre percebi a mensagem de fé e os valores transmitidos pela Igreja. E acho que faz bem ao país. E por isso é que não percebo tanta crítica à visita do Papa.

    Qual o problema de o símbolo máximo da religião mais professada em Portugal ser recebido desta maneira? Nenhum. Aliás, no estado em que estamos, só pode ser boa esta mensagem de fé e esperança. É por causa dos custos? O Vaticano suporta todos os custos menos a segurança. É por causa da igualdade com outras religiões (tanto se fala do Dalai Lama...)? Obviamente não podemos comparar os dois, porque Portugal não é um país budista. É por o país ser laico? É verdade. E isso quer dizer que não pode proceder a todas as diligências para que uma importante figura a nível mundial seja bem recebida? Não me parece.

    Quem não queria ir ver Bento XVI tinha bom remédio: não ia. Aliás, o que eu fiz. E quem queria, ia trabalhar. A quem não apetecesse, não ia. O que me parece estúpido é tanta crítica sem razão de ser. Não gosto de implicar só por implicar, ao contrário de tantos portugueses que fazem dessa implicância crónica desporto nacional.

    Continue Reading
    2 recortes

    Aconteça o que acontecer, o herói do dia: Frederico Gil

    domingo, 9 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Continue Reading
    2 recortes

    Paneleirices

    sexta-feira, 7 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Depois de Guardiola e Eto'o, quando este ainda estava no Barça, agora é a vez de Piqué e Ibrahimovic. É este o segredo do Barcelona?

    Continue Reading
    1 recortes

    Hung Parliament

    quinta-feira, 6 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


    When no single party has a majority of seats in the House of Commons it‘s described as ‘hung'. At the 2010 election, a total of 650 MPs will be elected, so if the largest party wins fewer than 325 seats then there will be a hung parliament. Em português, tradução à letra fala de um "Parlamento enforcado". E agora, Cameron?

    Continue Reading
    1 recortes

    Yorda9

    quarta-feira, 5 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Hoje é o teu dia.

    O dia da homenagem ao primeiro capitão estrangeiro do Sporting. Ao jogador que marcou 70 golos com aquela camisola. Ao melhor jogador búlgaro de 1998. Ao campeão de 2000, 18 anos depois. Ao grande jogador que teve de abandonar o futebol graças a uma grave doença. Ao jogador que até como defesa-central jogou, quando o Sporting precisava. Ao jogador que não quer os lucros do jogo, dando-os aos Leões de Portugal. Por isso hoje, tudo o resto são artifícios. Acosta, André Cruz ou Luís Figo são hoje actores secundários naquele grande palco. Eu estarei lá, e muitos outros estarão, sem ordens do tribunal. Porque te queremos retribuir um bocadinho do que deste ao Sporting. Hoje o dia é teu, "orelhas".

    Continue Reading
    0 recortes

    FDL na Playboy

    segunda-feira, 3 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Entro hoje num quiosque, no metro do Campo Grande, e ao meu lado estão dois agentes de autoridade a salivar para cima de uma revista. Curioso, dou uma espreitadela e qual não é o meu espanto quando vejo a entrada da minha faculdade num dos cantos da revista. Ainda mais curioso, olho, agora descaradamente, para o resto da página. E o que vi? Uma jovem rapariga com o que me pareceu ser uma toga de advogado aberta à frente, e sem nada por baixo.


    A revista era a Playboy portuguesa, e eu só imaginei o ataque cardíaco que o Prof. Jorge Miranda teria se algum dia chegasse à Faculdade e visse tal pouca-vergonha. Enfim, foi uma viagem de intenso riso mórbido.

    Continue Reading
    0 recortes

    We Don't Care About Music Anyway...

    sábado, 1 de maio de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


    Acabo de chegar do Cinema de São Jorge, onde fui ver um documentário sobre música experimental no Japão, integrado no IndieLisboa. O filme chama-se "We Don't Care About Music Anyway...".


    Na verdade, o título diz muito sobre o filme. Isto porque de facto eles não queriam saber de música, queriam apenas captar sons para fazer as coisas de forma diferente do normal, out of the box. Eram cinco, e cada um tinha a sua maneira particular de o fazer.

    Destaco duas cenas onde se percebe o que digo. Numa, Fuyuki Yamakawa, o cabeludo, explica como capta sons do seu corpo: prende um microfone de contacto à cana do nariz e bate violentamente no crânio para fazer algo parecido com percussão. Noutra, Tomoko Shimazaki, a rapariga, toca guitarra no máximo, sem grande noção, o que explica: também, não era preciso saber tocar, a guitarra estava ligada a um amplificador no máximo e o som é sempre igual. Duas cenas, mas poderiam ser muitas mais.

    No fim, percebi que tinha visto um filme sobre barulho. E se um dos co-realizadores não teve palavras para explicar o filme, imaginem a minha dificuldade. Imagino agora o que seria ver o filme de olhos fechados... Enfim, uma experiência Indie, da qual destaco o momento fantástico que encerra o filme, com um violoncelo a ser tocado de maneira peculiar.

    P.s.: Dois reparos à organização: 1) quando apresentam o filme, façam-no em português e inglês, e não só nesta última. Afinal, estamos em Portugal; 2) a quem escreveu as legendas, pede-se que saiba escrever. "Lembraste" onde devia estar "lembras-te" e "vês" onde devia ser "vez" são erros básicos demais!

    Continue Reading
    0 recortes

    Vai o homem, fica para sempre a memória

    quarta-feira, 28 de abril de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes


    "O Sporting nasceu e verde se tornou,
    o sonho aconteceu todo o país chorou,
    com um golo de Morais que não se esquece mais..."

    P.s.: Morais, um dos melhores defesas direitos do Sporting de sempre, que nos deu a Taça das Taças com um canto directo, faleceu. Obrigado e descansa em paz.

    Continue Reading
    1 recortes

    Train spotting, O outro lado da greve...

    segunda-feira, 26 de abril de 2010 by Sean


    O "train spotting" já foi um desporto levado a sério... Hoje é encarado como um passatempo.
    Aproveite a greve da CP e faça uma viagem ao passado, veja passar os comboios que não vão para o seu sítio.

    Continue Reading
    2 recortes

    Hate to say I told you so

    domingo, 25 de abril de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    "Das 19 mil mulheres que abortaram voluntariamente em 2009, 340 fizeram-no duas vezes nesse ano e 890 já o tinham feito no anterior."


    E agora, alguém ainda tem lata suficiente para me dizer que o aborto não é usado por muitas mulheres como método contraceptivo?

    Continue Reading
    0 recortes

    Otero-gate revisited

    sábado, 24 de abril de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    João Miranda, provavelmente o mais influente blogger português e como sempre em grande forma, mostra que o famoso teste do Professor Paulo Otero é, de facto, interessante do ponto de vista académico. Deixo-vos um comentário feito n'O Insurgente, que ilustra bem isto:


    "Curioso. Ainda não li nenhum argumento constitucional contra o casamento entre animais. Usar argumentos como “um contrato de casamento tem que envolver exclusividade” ou “animais não podem celebrar contratos”. Nenhum desses princípios está na constituição, ou se estão estão lá de forma muito subtil e o caso requer muito mais argumentação e elaboração. Por outro lado, o exame pede argumentos contra e a favor, o que exige a quem lhe quiser responder um pouco mais de ginástica intelectual.

    Aliás, há várias linhas de raciocínio interessantes. Por exemplo:

    1. Casamento entre animais é constitucional porque a constituição não define casamento podendo este ser um conceito aberto (foi este o argumento usado pelo TC a propósito do casamento gay). Isto implica que, do ponto de vista constitucional, o casamento pode ser o que se quiser (porquê prescindir dos sexos opostos e não prescindir da exclusividade ou mesmo da racionalidade dos esposos?). Note-se que o facto de ser constitucional não implica sequer que seja uma ideia juridicamente consistente. Apenas implica que não há nada na constituição que o proíba.

    2. Casamento entre animais é inconstitucional porque existem limites para aquilo que um casamento pode ser, e em qualquer caso o casamento implica a racionalidade dos agentes.

    3. Casamento entre animais é inconstitucional porque está implícito na constituição que determinadas instituições são exclusivas dos cidadãos e que nenhum cidadão pode ser um ser irracional. Esta linha coloca dois problemas subsequentes: (i) e se aparecerem dois animais racionais, já podem casar? (ii) Quer isso dizer que os animais não têm direitos?

    4. Casamento entre animais é inconstitucional porque viola os pressupostos éticos da sociedade (que implicam que determinadas instituições devem ser respeitadas e dignificadas).

    5. Casamento entre animais é constitucional porque, embora os animais não tenham racionalidade, são ainda assim seres sensíveis (no sentido em que podem sofrer), podendo o casamento em determinados casos minorar esse sofrimento. A ideia desta linha de argumentação é estender os direitos humanos de forma gradual aos animais a lá Peter Singer. Identificar situações concretas em que o casamento pudesse minorar o sofrimento de animais é difícil, mas a piada do exercício é mesmo essa.

    Qualquer destas linhas de argumentação é possível e permite, com algum trabalho e conhecimento dos princípios constitucionais, uma resposta razoavelmente interessante e aprofundada às perguntas colocadas. Parece-me ainda evidente que qualquer aluno de direito constitucional deve ser capaz de discutir estes problemas, isto é, deve ser capaz de explorar formas de adaptar princípios constitucionais a situações limite. As perguntas colocadas colocam o aluno perante os fundamentos dos fundamentos do direito constitucional (sobretudo os pressupostos não escritos: (i) cidadão é qualquer ser racional; (ii) na base de qualquer constituição está a ética da sociedade a que ela se deve aplicar) e por isso o exame é excelente.

    Note-se que num exame desde tipo interessa muito pouco saber quem tem a resposta certa. Interessa muito mais saber quem é capaz de argumentar a favor de cada uma das teses."


    Mantenho a minha posição. Provocatório? Sim. Descabido? Acho que se acaba de mostrar que não. E não pensem que estou a defender o professor em causa, porque penso que é de longe o mais odiável (e odiado?) da nossa FDL.

    Continue Reading
    1 recortes

    Otero-gate

    sexta-feira, 23 de abril de 2010 by Luís de Aguiar Fernandes

    Como aluno da FDL, tomo a liberdade de comentar o Paulo Otero-gate. E acho que está a ser demasiado sobrevalorizado. Deixo um comentário que fiz em alguns blogues:


    "Numa oral: "Diga-me qual é a diferença entre a senhora e uma vaca". Apesar de parecer um insulto, a resposta é simples, tem apenas a ver com a personalidade jurídica.

    Este teste é igual. Parece um insulto, mas é apenas uma hipótese académica. E provavelmente o teste mais simples que já vi do Prof. Paulo Otero, aquele que acha que "os preservativos são obra do Diabo".
    "

    Como já pude comprovar, a minha opinião está em minoria. Mas não é única. Veja-se o que diz Rui Passos Rocha:

    "Onde vês ridicularização do casamento gay eu vejo mera provocação, onde vês humilhação dos alunos homossexuais eu vejo apenas estupidez. Do professor: que eu saiba os animais ainda não têm personalidade jurídica, por isso pelo menos metade daqueles 12 pontos pode ser ganha com uma frase."

    Por isso, e por muito que ache a atitude provocatória e não goste do Professor em questão, não vamos fazer disto o que não é. É apenas uma hipótese, meramente académica e provocatória, como tantas outras. E das fáceis.

    Continue Reading
    2 recortes